Gouveianas premiadas: poesia e crônica

Retornar

Raquel Luiza, Maria Auxiliadora e Elza Alemão

CASTRO ALVES, CADÊ SEU GRITO?

Elza Pinto Alemão.

Contra a escravidão negra
Castro Alves escreveu em verso.
Gritou aos simples e poderosos,
também ao Arquiteto do Universo!
Deus o ouviu com certeza!

Mandou à Terra o recado:
“Ame aos outros do jeito
que você quer ser amado”!
Porém o homem irreverente,
valorizando a corrupção,
inventou novas formas
de escravizar o próprio irmão:

O funcionário incompetente
mata o outro no documento,
pra lhe tirar a aposentadoria
sem sofrer constrangimento.

O traficante ou usuário
pela droga aniquila
os inocentes cidadãos
que entram na sua fila.

Veja o que ocorreu, Castro Alves,
com seu grito por dias melhores:
nossa riquíssima Pátria amada
criou escravidões maiores!

Ah! Meu Castro poeta,
que está ante meu Deus,
peça pelos novos escravos,
sussurrando aos ouvidos Seus!

Medalha e Diploma: 2º lugar Nacional, Concurso Casa do Poeta Maçon do Brasil/S.P.