Jubileu do Cemitério do Peixe
13 a 19 de Agosto de 2012

Retornar

Comentários, fotos e organização dos clipes
Raimundo Nonato de Miranda Chaves

Neste sitio já temos muitos artigos sobre o Cemitério do Peixe, dos autores: Auxiliadora, Delém, José Emílio, José Moreira, Lucia Tânia, Luiz Dumont e Raimundo Nonato; além de monografia de Maria Lucia. Então, me preocupei, apenas, com as fotografias que mostrarei. No entanto, nada temos ainda sobre o Jubileu de 2012, sobre o qual escreverei para o Boletim Informativo da Afago e para jornal de Curvelo, atendendo a pedido do Revmo. Padre Carvalhais.
Aqui, apenas um resumo:A localidade de Cemitério do Peixe, um verdadeiro caldeirão, nos dias 18 e 19 de agosto era um amontoado de casas, barracas, carros de passeio, ônibus, tropas e Gente.
Gente vindo de todos os lugares: Padre Carvalhais apresentou casal de amigos vindo de Jacareí (SP), os campeões de distância percorrida. De Belo Horizonte: Antonio Francisco Pinto Neto e família – terceira geração de Canequinha, o criador do Jubileu; Haroldo Ribas – vice presidente da Afago, componente da cavalgada de Gouveia. De Contagem: Lilina, Eli de Beco e família – meus amigos do tempo de juventude; Nelma, esposa de Ivo Andrade – associado da Afago. De Vespasiano: Joel – bom papo, mostrou-me sua turma: um ônibus, duas vans e cinco carros de passeio. De Sete Lagoas: Tião de Neco – empresário, em Sete Lagoas, e proprietário da Fazenda Três Rios na margem do Parauna - Camilinho, também, do grupo de cavalgada de Gouveia. De Santana do Pirapama: grupo de cavalgada liderado pelos irmãos Antão, juntaram-se ao grupo de Fechados, mais de 50 cavaleiros, enfrentaram a Serra e abrilhantaram a festa. De Presidente Juscelino e Vila Alexandre, cavaleiros, em belas montarias. De Gouveia: muitos carros, motos, ônibus e cavaleiros, dentre eles Heraldo Ribas, José Ribas e muitos outros. Registro a presença do encantador de burros, Lindomar, de Presidente Juscelino. Falei com Lindomar sobre o encantador de cavalos,americano, apresntado no programa Globo Rural. Bem! ele sabia tudo sobre o gringo. A globalização para o bem e para o mal! piercings e tatuagens por um lado e tratamento adequado de animais por outro.
Tudo funcionou muito bem sob o comando de Luiz Rodrigues de Oliveira, presidente da Associação dos Amigos do Cemitério do Peixe e fazendeiro nas margens do Rio Congonhas. Destaque para os missionários, gente boa, competente, com rara habilidade para atingir o povo. Padre Mauro Carvalhais, o líder, conhecido como o Padre do Peixe, vem de Juiz de Fora, especialmente para conduzir as missões. Padre Carlos Pinto de Oliveira, natural de Capitão Felizardo, sobrinho neto do fundador do Jubileu, excelente comunicador, responsável pela motivação do romeiro. Padre Itamar José Pereira, vigário de Córregos, o pregador, aparência frágil, que se agiganta na pregação. Padre Alessando, jovem, recém ordenado, trineto do fundador, representa a garantia de continuidade do jubileu.

Informações sobre festeiros, mordomos, responsáveis e auxiliares na página do programa/convite.
Você poderá acessar as seguintes páginas todas referentes ao Peixe: