Prêmio Afago - 2017

Retornar

Prêmio Afago 7ª edição

Raimundo Nonato de Miranda Chaves

Começo a agradável tarefa de registrar mais um capítulo bem-sucedido do Prêmio Afago de Literatura. Neste ano de 2017, a sétima edição do Prêmio Afago foi entregue, em seção solene, realizada no dia 06 de outubro, no amplo salão da APAE, em Gouveia.
A solenidade, programada para as 19:00 horas, contou com a presença ilustre da senhora Vice-Prefeito Municipal, representando a municipalidade – o senhor Prefeito Toninho justificou sua ausência com inadiável viagem a Belo Horizonte –, secretários municipais, diretores das escolas, professores, estudantes e seus familiares. O amplo salão esteva repleto a ponto de dificultar a entrada dos artistas mirins – estudantes do CEMIR – que abrilhantaram a festa.
O Prêmio Afago de Literatura resulta de parceria entre a Afago - hoje Nova Afago Movimento – e a Secretaria Municipal de Educação. A sétima edição dele finalizou com a solenidade a que me referi. O início ocorreu muito antes. Eu explico: No dia 23 de março, do corrente ano, a Assembleia da Afago decidiu desativar a Associação como instituição, transformando-a em movimento sócio cultural. O casal José Moreira e Adélia assumiram a responsabilidade de manter o Prêmio Afago. Neste dia, então, iniciou-se o capítulo 7 da História do Prêmio Afago de Literatura.
Logo depois, acompanhei o casal José Moreira/Adélia até Gouveia quando, em reunião com a senhora Secretária Municipal de Educação, decidiu-se pela continuidade da parceria, a manutenção do Prêmio Afago como evento da Semana Literária e, já agendada a realização da solenidade de entrega do prêmio para 06 de outubro.
No meio do ano, Moreira e Adélia voltaram mais uma vez à Gouveia quando se reuniram com as professoras de língua portuguesa e, na ocasião, Moreira, idealizador do Prêmio Afago, explicou porque o prêmio foi criado, sua importância e o que se pretende alcançar com esta realização; falou, também, sobre as normas que seriam publicadas em edital. Nesta reunião, decidiu-se o tema a ser oferecido aos estudantes candidatos: Família.
Já no mês de agosto, com o edital redigido cuidei de publicá-lo no site da Afago e encaminhar cópias personalizadas às diretoras de escolas, à Secretaria de Educação e à administração do município.
Soaram as trombetas, transferiu-se o bastão, a responsabilidade, agora, era da juventude estudantil. Eles deveriam concentrar-se, criar e redigir um texto usando o termo Família como tema. Foram informados que contava pontos a criatividade da história, a forma de apresentar, a beleza do texto, as regras da gramática de língua portuguesa. Os estudantes, representando seis escolas que ministram curso fundamental II e mais duas que ministram curso secundário, formaram oito grupos em busca de oito prêmios - a disputa se verificaria dentro de cada grupo – trabalharam firme e conseguiram totalizar 118 redações que foram enviadas, para avaliação.
Para descrever a reação, o interesse e a dedicação dos jovens estudantes, transcrevo correio eletrônico da dedicada e competente professora Audrey Regina.
“Prezado José Moreira,
Expressar o nosso sentimento ante toda a atmosfera produzida ou acirrada pelo Prêmio Afago de Redações às escolas de Gouveia é insuficiente, chegaria a ser pueril de minha parte. Mas eu não poderia deixar de lhe dizer, não só como professora de Português, mas também como gouveiana, que o que você e a Adélia vêm fazendo pela educação tem um gigantesco valor.
Vocês não imaginam o afã, a emoção dos alunos nos últimos 40 dias, motivados pela ideia de terem seus textos admirados, escolhidos. Em minhas quatro turmas de segundos anos do Ensino Médio, fui classificando os trabalhos por categorias: semifinalistas, finalistas 1 e 2, até chegar ao atual número: 25 produções que eu julgo trabalhos bons. Ou seja, um percentual elevado. Devo ter deixado outras 25 para trás, além das outras mais de 100 que só foram semifinalistas, ou seja: tem valido a pena, sim - e como!
Que isso possa reverberar em outros lindos jardins pela caminhada, nessa nossa vida de sonhos e utopias, dos quais não ousamos abrir mão! [...]
Atenciosamente,”
Mensagem que faz jus a comentários porque é:
Importante pela autora. Audrey Regina professora do curso secundário da Escola Joviano de Aguiar. Competente, dinâmica e culta, com amplo conhecimento e larga experiência na área de educação. Audrey ocupou importante posição na Secretaria de Estado da Educação, na coordenação do projeto de adequação do ensino de segundo grau.
Importante, porque o rebuliço dos estudantes, conforme ela relata, dá, a nós da Afago, a sensação de que o Prêmio Afago de Literatura atingiu o status de projeto vitorioso.
Importante, pelo reconhecimento do trabalho realizado pelo casal José Moreira/Adélia. Eu sou testemunha das atividades desenvolvidas pelo casal, porque acompanho o trabalho dele desde o início do projeto.
Há quase dez anos o professor Moreira, durante reunião da diretoria da Afago, propôs a criação do Prémio Afago de Literatura direcionado aos estudantes das escolas de Gouveia. Anexada à proposta, lauda, contendo, de forma detalhada, todas as normas do concurso, pronta para lançamento do Edital. Mais, o cheque que garantia o financiamento do prêmio por dois anos. Desde então, o casal não arrefeceu o trabalho, sempre inovando: atualizando e melhorando o projeto.
Eu confirmei tudo isso, na minha fala, durante a solenidade de entrega do Prêmio e confirmei que o casal José Moreira/Adélia é o Sustentáculo do Prêmio Afago de Literatura. Cheguei a denomina-los: O Casal Vinte, em analogia com o conhecido Casal Vinte criado em série cinematográfica hollywoodiana. O casal de lá era dinâmico e rico. O casal de cá não é rico, mas, conta a história, que a comparação entre americano e brasileiro, ou entre anglo-saxão e latino quando se fez a pergunta: Qual a coisa mais bonita? O americano exclamou:
-- Um Milhão de Dólares.
E o brasileiro disse:
-- Um Pingo d’Água na Folha de Cará.
Em vista disso, continuo considerando José Moreira/Adélia como o Casal Vinte. Não abro mão disso.
O casa vinte é também o grande financiador do prêmio e conta com a colaboração de membros da Afago. Neste ano de 2017 contribuiram financeiramente Manoel Luiz Ferreira de Miranda, Milton Ferreira de Miranda, Guido de Oliveira Araújo e este articulista Raimundo Nonato.
Neste ano de 2017, as redações foram encaminhadas para avaliação pela comissão formada pelas professoras: Adélia Anis Raies de Souza (coordenadora), Diva Maria de Miranda e Celeste. Destas 118 redações, deveriam ser selecionadas, três de cada grupo, portanto, totalizando 24 selecionadas. No entanto, um grupo não atingiu o número mínimo de redações, exigido no edital, e foi eliminado. Então, 21 redações foram selecionadas e apresentadas, em Gouveia, pelos seus autores, perante a segunda banca examinadora composta por: Nilson Pereira, Maria Auxiliadora de Paula Ribeiro, Ivonete Lima e Lourdes Dumont.
Calculou-se a média ponderada das notas atribuídas pelos examinadores das duas bancas e o primeiro colocado de cada grupo recebeu: cheque no valor de R$1.000,00 e mais cópias de duas edições da Revista da Comissão Mineira de Folclore, dois livros de poesia, respectivamente, de Nilson Pereira e de Maria Auxiliadora e ainda, o livro Camilinho: escola de vida, autoria deste articulista.
A última etapa do evento Prêmio Afago de Literatura aconteceu, em Gouveia, no salão da APAE, no dia 6 de outubro. Iniciou com a reunião de trabalho, presidida pela professora Dione, Secretária Municipal de Educação e os diretores da escolas cujos estudantes participaram do concurso. E.E. Augusto Aires da Mata Machado, diretora Eunice; E.E. Aurélio Pires, diretora Lourdes Hipólito; E.E. Ciro Ribas, diretora Eliane; E.M. João Baiano, diretora Maria Luiza; E.M. Prof.ª Zezé Ribas, diretor Lúcio; E.E. Joviano de Aguiar, diretor Douglas. Nessa reunião de trabalho foram apresentadas 21 redações, pelos seus autores, e avaliadas pela banca. Posteriormente, aconteceu a solenidade, presidida pela senhora a Vice-Prefeita, professora Rosilene e a senhora Secretária Municipal de Educação, professora Dione. Ente uma e outra aconteceu a bonita apresentação artística de alunos do CEMIR.
O Prêmio Afago de Literatura, relembrando, é um evento da Semana Literária. A Semana Literária, neste ano de 2017, constou de atividades locais: sejam atividades artísticas, culturais, esportivas, internas em cada escola. Atividades externas: Prêmio Afago e Chá Literário. O Chá Literário aconteceu no dia 05 de outubro, salão da APAE engalanado, festa bonita, muita renda e muito salto alto. Ao ver aquelas professoras senti vontade de voltar aos bancos escolares. Presença ilustre do senhor Prefeito Municipal Toninho. A motivação: homenagem às professoras. Muito digno! Sem elas não teríamos a ocorrência do dia seguinte: o trabalho dos alunos. A coordenação do evento a cargo da professora Geralda Eunice que apresentou importante documento de homenagem às professoras de Língua Portuguesa, nominalmente citadas. Participação da professora Maria Luiza apresentando bonito texto de Suely Vieira enaltecendo o trabalho de professora. Mais, declamação e canto pelas crianças. Ainda a fala do professor José Moreira que apresentou o Boletim Informativo da Afago - edição nº 3/2017, em seguida distribuido, contendo os artigos que seriam apresentados, no dia seguinte concorrendo ao Prêmio Afago de Literatura.
Depois, saboroso chá com quitandas de trigo e de polvilho, além do tradicional Kobu, dizem feito pela diretora Lourdes Hipólito.
Ainda há muito para ver do Prêmio Afago

  1. Chá Literário
    1. Fala de Eunice
    2. Fala de Maria Luiza
    3. Fotos
  2. Prêmio Afago 7ª edição
    1. Relação de trabalhos
    2. Fotos
    3. Show no intervalo