Chá Literário - 2017

Retornar


Chá Literário - um evento da Semana Literária
Texto de Suely Vieira - apresentado por Maria Luiza (diretora da E.M. João Biano)

“Educar é mostrar a vida a quem ainda não a viu. O educador diz: “Veja!” e, ao falar, aponta. O aluno olha na direção apontada e vê o que nunca viu. Seu mundo se expande. Ele fica mais rico interiormente… E ficando mais rico interiormente ele pode sentir mais alegria – que é a razão pela qual vivemos.” Ou pela qual, pelo menos, deveríamos viver. A partir dessa reflexão, percebemos o quão grandioso é então o trabalho de um professor: compartilhar com os homens a felicidade que nele mora. Seus olhos procuram mãos estendidas que possam receber a sua riqueza. Mas tem algo mais especial ainda neste olhar... Seus olhos estão cheio de amor. Sempre. Sim, porque professor tem sempre olhos carregados de amor. E é exatamente esse amor que nos possibilita enxergar lugares que sozinhos jamais poderíamos enxergar. Bonito isso. Enxergar sonhos que antes não veríamos sozinhos. E nxergar só porque o outro nos emprestou os olhos. O outro nos apontou, nos deu a chave, nos entregou a senha. É esta a digna missão do mestre professor.Entregar a senha. Apontar jardins secretos em aparentes desertos. E sabemos que não tem sido fácil, professor, entregar a senha em um mundo invadido por falsas senhas. Em um mundo no qual tem sido mais fácil propagar desertos que semear flores...
Mas o professor é mesmo especial. Principalmente você, mestre da Língua Portuguesa, que faz mágica com as palavras, que nos encanta com a sua sabedoria, que transforma o saber em poesia e nos sensibiliza com a sua sensibilidade.Você, professor, que nos ensina a ler o mundo para melhor escrevermos a história de nossa vida.
Você que nos transforma, nos faz melhores e maiores. Que dedica o seu tempo, o melhor dele, aos filhos que não são seus. Não há dúvida de que isso seja amor. O mesmo amor que os jardineiros dedicam às suas flores. Sim, professores, vocês são jardineiros! Amam seus alunos como aqueles amam as suas flores e por isso cuidam de cada detalhe! Porque sabem que não há amor fora da experiência do cuidado.Entendem que cada flor tem o seu estatuto, as suas regras e jamais perdem a esperança de que em algum momento, suas roseiras irão florir!
Um grande professor assim disse “Ensinar é um exercício de imortalidade. De alguma forma continuamos a viver naqueles cujos olhos aprenderam a ver o mundo pela magia da nossa palavra. O professor, assim, não morre jamais... “ E essa é uma grande verdade. Um professor não morre jamais!
A vocês, professores, o nosso muito obrigado! A vocês, a nossa eterna gratidão, nossos imortais jardineiros!