Trilha Verde da Maria Fumaça - Reportagem RF

Retornar



Um sonho se transformando em realidade. O projeto Trilha Verde da Maria Fumaça se realiza graças à didicação do empresário - ambientalista -, Alex Mendes dos Santos, com o suporte das entidades da sociedade civil que ele coordena. Comentários sobre o projeto já extrapolam a região, conforme matéria publicada na Revista Ferroviária RF, edição eletrônica. A publicação dos engenheiros da E.F.C.B. transcreve matéria do Blog Transporte Ativo, responsabilidade de Denir Mendes Miranda, representante da Associação Transporte Ativo no Distrito Federal. A narrativa a seguir se divide em tres partes:

Caminhos da Serra

Para ter sucesso, quem luta em favor das bicicletas precisa aproveitar as oportunidades e agir quando for preciso, sem esperar que alguém faça por nós.
Saber aproveitar as oportunidades requer estar aberto e antenado, sem nunca fechar canais de comunicação. Também é preciso saber dizer não quando preciso, para ter foco. Uma boa dose de conhecimento técnico ajuda muito. Agir, colocar a mão na massa, exige comprometimento, e a clara visão de que o futuro se constrói hoje. Estar pronto para enfrentar o que vem após a curva.
Um excelente exemplo disto é o movimento para implantação da Trilha Verde da Maria Fumaça, na região central de Minas Gerais, entre Diamantina e Monjolos. O objetivo é possibilitar o deslocamento de caminhantes e ciclistas pelo antigo ramal ferroviário da região, criado em 1909. Que foi totalmente desativado em 1973, dentro da política rodoviarista da época.
Durante cerca de 30 anos a “linha do trem” ficou abandonada. Apesar de estar sob responsabilidade do DNIT e as construções sob responsabilidade do IPHAN, passou a ser aos poucos vendida, alugada, roubada e ocupada ilegalmente. Recentemente, o trajeto começou a ser usado em atividades de lazer e estudo por ciclistas, caminhantes, cavaleiros, professores, estudantes e um novo olhar passou a conviver com as belezas e problemas do caminho.
Em 2000 uma expedição encabeçada pela ONG Caminhos da Serra percorreu a pé todo o trecho de Diamantina a Corinto. Desde então, vem sendo discutida a proposta de se criar a Rota de Ecoturismo da Trilha Verde da Maria Fumaça, com cerca de 100km de extensão.
Por ser um percurso criado para o tráfego ferroviário, a Trilha Verde da Maria Fumaça não possui ladeiras acentuadas ou curvas fechadas, apesar do trajeto serpentear por entre escarpas da Serra do Espinhaço e haver um desnível de mais de 800m.
A Serra do Espinhaço possui como características marcantes os afloramentos de rochas quartzíticas entremeados por campos e pequenas faixas de matas, e recebeu da Unesco o título de Reserva da Biosfera. Além de passar por 7 localidades, ao longo da Trilha da Maria Fumaça existe um grande número de atrativos naturais.
O destaque fica para os vilarejos de Barão de Guaicuí, com a Cachoeira do Barão, e as formações e sítios arqueológicos da Serra do Pasmar; e o vilarejo de Conselheiro Mata, com mais de 10 cachoeiras no seu entorno.
A Trilha foi subdividida em seis trechos, conforme as localidades existentes ao longo do trajeto, com distâncias propícias para viagens a pé ou de bicicleta. Em 2009 foi criado o Grupo Gestor da Trilha Verde da Maria Fumaça, que já se reuniu com prefeitos, DNIT, IPHAN, Procuradoria do Estado de Minas, entre dezenas de outras ações. Há poucos dias, foi concluído um relatório de identificação e diagnóstico para indução e apoio de fluxo turístico, dentro do Programa de Estruturação do Circuito dos Diamantes (estância de governança regional do turismo).
O relatório apresentado identifica os principais problemas da trilha e apresenta as soluções necessárias. Foi elaborado pelos turismólogos Felipe Marcelo Fernandes Ribeiro e Maria Luar Mendes de Souza, sob a Coordenação Técnica de Hugo Araújo.
A Transporte Ativo parabeniza todas as pessoas envolvidas e apóia a excelente iniciativa.


Aponte a foto com o mouse







Encontro de Monjolos

Correio eletrônico de Alex Mendes dos Santos No.1

Boa noite parceiros.
No sábado passado 21.08 estivemos em Monjolos participando do 4o. encontro intinerante do Circuito dos Diamantes.
Foi ótimo evento, parabéns Circuito, parabéns Monjolos.
Festa boa, com a comunidade e convidados de interesse em turismo sustentável e meio ambiente.
Sem som automotivo, sem som alto, mas com banda local, cantores locais, cortejo do Divino, teatro, discurso e poema da Da. Orlandina.
Barraquinhas ornamentadas, artesanato, comida e bebida boa.
Pudemos conversar, rever amigos, fazer reunião e acordos em prol da Trilha Verde da Maria Fumaça.
Estiveram por lá: Caminhos da Serra, Projeto Manuelzão, Sarp, Diretoria do Circuito, Amantes da Magrela...
é o tipo da festa que acredito que devemos apoiar e efetivar na trilha em todas as comunidades.
Vejam as fotos.
Abraço a todos.
Alex

Correio eletrônico de Alex Mendes dos Santos No.2

Prezados,
Ainda sobre o encontro em Monjolos, tivemos a oportunidade de nadar, remar e participar da cultura local na sua relação com o Rio Pardinho.
O rio está com boa qualidade de água, sem turbidez, assoreado em alguns pontos, com várias entradas para bebida de animais, mata ciliar falha e muito pequena. A cultura de pesca é de vara e pequenas redes, as famílias captam água para uso doméstico e as fazendas também.
As famílias usam o rio para lavação de roupa e recreação.
Não existe tratamento de esgoto segundo moradores locais.
Percorremos 6 Km de rio no perímetro da cidade. Região de mata sêca, vimos muitos tamboril, jatobá, ipê. Pássaros diversos e macacos. A criançada andou de caiaque, foi uma diversão só. Existe a preocupação com o turismo descontrolado pelo afluxo de ônibus vindos de Corinto, Curvelo, Santo Hipólito com a chegada do asfalto ao local. Necessário apoio do Projeto Manuelzão, CBH Velhas e demais entidades para discussão deste problema que já acontece e tende a crescer. No mais curtam as fotos.
Saúde e alegria.
Alex

Correio eletrônico de Claudete Maria Souza e Costa

Prezados,
Infelizmente não pude comparecer a esse encontro bacana, com a oportunidade para encontros de vários grupos e inclusão da comunidade local. Essa é a essencia do turismo comunitário que tem sustentabilidade e que devemos incentivar em nossa região.
Parabéns aos organizadores.
Att
Claudete Maria Souza e Costa
Coordenadora Técnica Regional
EMATER-MG

Correio eletrônico de FUNIVALE Associação Pro-Fundação Universitária do Vale do Jequitinhonha

Que bom ver fotos como estas que valorizam nosso interior. é fato que os lugares onde há cuidado e capricho terão preferência ao turismo. Vou contar uma experiência que vivi recentemente em um lugar um pouco mais longe, mas que muito me ensinou. Fui à França no último mês e vi o quanto os franceses cuidam de seus espaços, flores, flores e mais flores como se elas fossem uma necessidade e não um luxo. Ao mesmo tempo quando cheguei à Portugal vi lixo nas ruas (mesmo no centro turístico de Lisboa, eu não esperava isto!). Visitei uma pequena vila chamada Sintra que é patrimônio da Humanidade. Sintra é um lugarzinho bonito demais rodeado por belas montanhas e casarões maravilhosos (alguns fechados) e uma bela culinária. As estradas asfaltadas têm suas encostas bem cuidadas, o percurso é arborizado e bem cuidado. Ao andar pela vila percebi que havia uma coisa errada - eram algumas construções "modernas" ao lado ou na mesma rua dos belos casarões antigos. Isto me entristeceu e lembrei logo de nós. Lembrei dos cuidados que temos que ter com os lugares onde vivemos.
A simplicidade das nossas pequenas comunidades é um diferencial que precisamos exergar e aproveitar. Com cuidado e investimento em ações de capricho só temos a ganhar qualidade de vida e turismo.
Parabéns à Monjolo. Em breve quero conhecer!
Parabéns à equipe de organização e entidades participantes.
Um abraço
Sandra Viviane de Moura
Coordenação da Funivale

Correio eletrônico de Luiz Carlos

Parabéns aos envolvidos!
Sãos essas e outras ações que valorizam a cultura do interior, atraem turistas e investimentos.
Somos muito bem recebidos por esta gente hospitaleira, todas as vezes que vamos aí!
Gostamos muito da estação e das praças: Lindas e bem cuidadas. Estes cartões postais são um atrativo a mais na Trilha.
Viva Monjolos! Viva a Trilha Verde da Maria Fumaça!
Abraço a todos,
Lucarol

Correio eletrônico da Associação Comunitária Ama Barão

Alex,
Bem legal a notícia. As coisas vão caminhando bem, na trilha e no tempo que deve ser.
Parabéns pelo seu trabalho.
Cláudia


Aponte a foto com o mouse
Crédito pelas fotos:
Alex e Luiz Carlos



O convite

Correio eletrônico de Alex Mendes dos Santos

Bom dia parceiros.
Anexo estamos encaminhando o convite para o nosso seminário de comemoração dos 100 anos da Trilha Verde da Maria Fumaça. Lembrando que estaremos construindo parcerias para nossa Meta 2012 - andar, pedalar e cavalgar na Trilha Verde da Maria Fumaça.
Em breve encaminharemos a programação detalhada do evento.
Um grande abraço a todos.
Alex